Condutores que atuam com turismo de observação de peixe-boi marinho na Paraíba vão para Alagoas para participar de um intercâmbio de conhecimento
 
O litoral norte da Paraíba, mais precisamente a Área de Proteção Ambiental (APA) da Barra do Rio Mamanguape, e o litoral norte de Alagoas, sobretudo a APA Costa dos Corais, são umas das poucas áreas no Brasil onde é possível avistar peixes-bois marinhos, mamífero aquático “Em perigo” de extinção no país.  Estas regiões possuem atributos ecológicos que propiciam a existência da espécie, sendo a mesma um dos grandes atrativos dos turistas nestas localidades. Estas são as únicas regiões do Brasil onde existem recintos de readaptação de peixes-bois marinhos em ambiente natural, peixes-bois reintroduzidos e peixes-bois nativos.  Para aprimorar e melhorar a atividade do turismo de base comunitária voltado para a observação do peixe-boi marinho de forma colaborativa com a estratégia de conservação da espécie, de 15 a 17 de julho, condutores de passeios que atuam no estuário da Barra do Rio Mamanguape estarão na cidade de Porto de Pedras, em Alagoas, para trocarem experiências e adquirem conhecimento com os guias locais que realizam esta atividade no rio Tatuamunha.

 
O intercâmbio está sendo promovido pelo Projeto Viva o Peixe-Boi Marinho (PVPBM) – realizado pela Fundação Mamíferos Aquáticos e patrocinado pela Petrobras por meio do Programa Petrobras Socioambiental – em parceria com a APA da Barra do Rio Mamanguape/ICMBio e CEPENE e com apoio da APA Costa dos Corais. Os condutores envolvidos no intercâmbio fazem parte da Associação de Artesãos e Guias de Ecoturismo da Região da APA da Barra do Rio Mamanguape (AGEAPA) e da Associação Peixe-Boi de Alagoas. Assim que chegarem em Porto de Pedras, os condutores paraibanos serão recebidos pela equipe da APA Costa dos Corais, que fará uma palestra de boas-vindas e apresentará a estrutura e o trabalho de conservação desenvolvido no rio Tatuamunha. No segundo dia, os paraibanos participarão de uma imersão e vivência do turismo de observação de peixes-bois praticado em Alagoas com a Associação Peixe-Boi.  E no terceiro dia terá uma roda de conversa entre os participantes das duas associações.
 
O incentivo a ações de base comunitária voltadas para o desenvolvimento do turismo de observação dos peixes-bois marinhos faz parte da estratégia de conservação da espécie promovida pelo Projeto Viva o Peixe-Boi Marinho. O Projeto percebe que, a partir do envolvimento com esta atividade, pescadores e moradores locais tornam-se mais engajados com a estratégia de conservação da espécie e a visita de turistas interessados pelo tema na região possibilita ampliar a sensibilização sobre a importância de se conservar os peixes-bois marinhos. Para tanto, o PVPBM está apostando no estímulo ao desenvolvimento comunitário e na capacitação dos condutores paraibanos para que o turismo de observação de peixes-bois marinhos seja realizado de forma funcional e colaborativa com a conservação da espécie e que possibilite uma geração de renda alternativa para a comunidade.  
 
“A nossa expectativa é que esta vivencia em ambiente similar ao da Barra do Rio Mamanguape possibilite aos condutores paraibanos um aprendizado diferenciado sobre a atividade do turismo de base comunitária aliado à conservação do peixe-boi marinho e à geração de renda. A região de Alagoas já possui uma demanda estabelecida de turistas e uma dinâmica bastante sustentável, que tem proporcionado a geração de renda para a comunidade local. E os condutores da AGEAPA estão indo conhecer de perto essa dinâmica”, ressalta Daniela Araújo, coordenadora de Desenvolvimento Comunitário e Educação Ambiental do Projeto Viva o Peixe-Boi Marinho.